Convite – Palestra: A IMPORTÂNCIA DA OUVIDORIA PARA AS EMPRESAS: FOCO NO RELACIONAMENTO COMO FORTALECIMENTO DA MARCA – Por Roberta Lídice.

invitación lidice

Anúncios

Convite – Evento: Encontro de Negócios.

invitación lidice

A Associação Comercial de São Paulo – ACSP – Distrital Nordeste, em parceria com a Associação Brasileira de Advogados – ABA Santana, por meio de seu Diretor, o Ilmo. Dr. Darcio Barbosa, convida todos os interessados para o evento:

ENCONTRO DE NEGÓCIOS.

O referido evento tem como objetivo estimular a sociedade e empreendedores a desenvolverem redes de relacionamento e Networking, realização de novos negócios, troca de conhecimentos e boas práticas a favor do empreendedorismo.

Dentre as atividades e orientações nas questões jurídico-empresariais, será ministrada a palestra:

A IMPORTÂNCIA DA OUVIDORIA PARA AS EMPRESAS: FOCO NO RELACIONAMENTO COMO FORTALECIMENTO DA MARCA – Por Roberta Lídice.

Data: 17/08/2016
Horário de início: 15:00h
Horário de término: 22:00h
Local: Auditório da Distrital Nordeste da ACSP.
Endereço: Avenida Guilherme Cotching, 1070 – Vila Maria – São Paulo/SP.

Entrada gratuita.

Programe-se!

Inscrições pelo site: http://www.acsp.com.br/

Você sabia que, no próximo dia 7 de agosto, a Lei 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, completará 10 anos?

1916718_10205942199577364_2206285279565760411_n20150807_113859-1

 

 

Você sabia que, no próximo dia 7 de agosto, a Lei 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, completará 10 anos?

 

Por Roberta Lídice.

A Lei 11.340 de 7 de agosto de 2006, conhecida como “Lei Maria da Penha”, cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8º, do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Violência contra a Mulher, da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher e de outros tratados internacionais ratificados pela República Federativa do Brasil; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; e estabelece medidas de assistência e proteção às mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

 

MARIA DA PENHA MAIA FERNANDES: GUERREIRA QUE DEU NOME À LEI

A Lei tem esse nome em homenagem à farmacêutica e professora universitária Maria da Penha Maia Fernandes.

Durante seis anos ela foi vítima de agressões por parte seu marido, também professor universitário, o qual tentou matá-la duas vezes.

Na primeira tentativa, em 1983, ele efetuou o disparo de arma de fogo, enquanto ela dormia e a deixou paraplégica.

Na segunda tentativa, ele tentou eletrocutá-la, enquanto ela tomava banho.

Então, ela tomou coragem e denunciou seu marido. Mas, quinze anos depois da prática dos crimes, ele ainda continuava em liberdade porque utilizava sucessivos recursos processuais.

O caso teve repercussão internacional, porque Maria da Penha, auxiliada por órgãos de luta pelos direitos das mulheres, levou o fato a organismos internacionais de proteção de direitos humanos, até que o Brasil, finalmente, editou a Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006.

PRINCIPAIS ASPECTOS DA LEI MARIA DA PENHA

  • Tipifica e define a violência doméstica e familiar contra a mulher.
  • Estabelece as formas da violência doméstica contra a mulher como física, psicológica, sexual, patrimonial e moral.
  • Determina que a violência doméstica contra a mulher independe de sua orientação sexual.
  • Determina que a mulher somente poderá renunciar à denúncia perante o juiz.
  • Ficam proibidas as penas pecuniárias (pagamento de multas ou cestas básicas).
  • Retira dos juizados especiais criminais – Lei n. 9.099/95 – a competência para julgar os crimes de violência doméstica contra a mulher.
  • Altera o Código de Processo Penal para possibilitar ao juiz a decretação da prisão preventiva quando houver riscos à integridade física ou psicológica da mulher.
  • Altera a lei de execuções penais para permitir ao juiz que determine o comparecimento obrigatório do agressor a programas de recuperação e reeducação.
  • Determina a criação de juizados especiais de violência doméstica e familiar contra a mulher com competência cível e criminal para abranger as questões de família decorrentes da violência contra a mulher.
  • Caso a violência doméstica seja cometida contra mulher com deficiência, a pena será aumentada em um terço.

 

A violência doméstica é considerada uma violência de gênero, porque está embasada numa relação desigual de poder entre homens e mulheres. Os direitos entre homens e mulheres devem ser iguais.

Toda e qualquer forma de violência deve ser coibida pelo Estado, repelida pela sociedade e combatida pela família.

O momento é de unir forças e apresentar um posicionamento firme e combativo!!

O seu silêncio é o grande aliado do agressor. Quebre o silêncio. Denuncie!

 

Onde denunciar:

.Delegacia de Polícia;

.Vara da violência doméstica;

.Defensoria Pública do Estado;

.Ministério Público do Estado;

.Centros e Casas de Atendimento à Mulheres em situação de violência doméstica (CCM-Centro de Cidadania da Mulher; CDCM-Centro de Defesa de Convivência da Mulher; outros).

.Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher – Oferecido pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, este serviço tem como finalidade auxiliar as vítimas.*Funcionamento: 24 horas por dia, 7 dias por semana.

 

Honrada e agradecida, pelo recebimento da Comenda Emérita Constitucionalista, em reconhecimento aos trabalhos sociais realizados.

12246807_10205329776267164_3513332530053967769_n

Honrada e agradecida, pelo recebimento da Comenda Emérita Constitucionalista, das mãos do Ilmo. Sr. Coronel PM Mario Ventura, Presidente da Sociedade 32 – MMDC, em reconhecimento aos relevantes trabalhos prestados, em prol da sociedade. 

Local do evento: Câmara Municipal de São Paulo.

Palestra: O Papel da Ouvidoria na Solução de Conflitos – Por Roberta Lídice. OAB-SP – Departamento de Cultura e Eventos.

http://www.oabsp.org.br/palestras-oab-sp/o-papel-da-ouvidoria-na-solucao-de-conflitos

 

Palestra: Palestra: O Papel da Ouvidoria na Solução de Conflitos – Por Roberta Lídice. (OAB SP – Salão Nobre).

11257015_10204540125486388_4884270486404336815_n 11060869_1153968067954118_319900056578415897_n

 

 

http://www.oabsp.org.br/palestras-oab-sp/o-papel-da-ouvidoria-na-solucao-de-conflitos

YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=ZpdHnwWcYxU&list=PLwM_elekCaP0wpKc7YVVjC68Ry3yZH_OI

Recebimento da Comenda Emérita Constitucionalista, na Câmara Municipal de São Paulo.

Honrada e agradecida, pelo recebimento da Comenda Emérita Constitucionalista, das mãos do Ilmo. Sr. Coronel PM Mario Ventura, Presidente da Sociedade 32 – MMDC, em reconhecimento aos relevantes trabalhos prestados, em prol da sociedade. — em  Câmara Municipal de São Paulo.

Certificado de participação do “I SEMINARIO DE DERECHO LABORAL DE TACNA-PERU 2016”

Com alegria e satisfação recebi, nesta data, meu certificado de participação do “I SEMINARIO DE DERECHO LABORAL DE TACNA-PERU 2016”, realizado em 23 de janeiro de 2016, pela FACULTAD DE DERECHO Y CS. POLÍTICAS DE LA UNIVERSIDAD PRIVADA DE TÁCNA-PERÚ.

Agradeço aos coordenadores Dra. Elva Inês Acevedo Velasquez, Dr. Juan Alvarez y Dr. Renzo Yufra Peralta, pela oportunidade de participar deste seminário.

O CONHECIMENTO e a FÉ são coisas que NINGUÉM pode TIRAR de nós, por mais que queiram….

 

Roberta Lídice.